Juventude: uma fase crítica da vida

[ad_1]

Gosto de escrever para jovens como eu não porque nossos velhos saibam mais e não precisem da informação (o que é claro que eles precisam, e de fato deveriam ler), mas porque uma psique jovem é aquela que é fácil e prontamente flexível para tanto a influência positiva (princípios, conhecimentos, verdades) sobre a vida quanto os apelos negativos em nossa sociedade.

A vida juvenil é o período em que os personagens se materializam, os valores são desenvolvidos e as escolhas são feitas. As escolhas e decisões que transformariam nossas vidas e até as gerações futuras, apesar do nosso dilema atual, serão tomadas nesta fase da vida. Steven Covey, que foi um autor e grande professor, escreveu: “Não sou produto de minhas circunstâncias. Sou produto de minhas decisões”. Daí a necessidade de esclarecimento e motivação; visando a tomada de decisão e o otimismo persistente para permanecer no caminho certo, sem perder os trilhos ao longo da linha.

A iluminação só pode vir da vontade voluntária de ser informado. Informação é conhecimento, e o próprio conhecimento é poder. Se estivermos informados, podemos identificar facilmente o seu propósito na vida.
Todo mundo tem um propósito nesta terra. Nós não viemos a este mundo apenas para consumir bens materiais e serviços, ir para a escola, ou conseguir aquele emprego, casar, dar à luz e morrer depois. Ou nós? Isso seria uma vida totalmente desperdiçada. Albert Schuster disse uma vez: “a tragédia da vida não é morrermos, mas o que morre dentro de um homem enquanto ele vive”.

Também somos muito privilegiados por sermos beneficiários dos materiais que os homens antes de nós escreveram, de modo que a sabedoria e o conhecimento que adquiriram por meio de experiências e estudo cuidadoso da vida estão facilmente à nossa disposição.
O mundo está se transformando de diferentes formas. A informação está aumentando a uma velocidade tremenda. Pesquisas indicam que a cada sessenta segundos, 2.000 páginas datilografadas são adicionadas ao conhecimento do homem e o material produzido a cada 24 horas leva cinco anos para uma pessoa ler. Até mesmo uma memória de computador pode computar logicamente 6 milhões de palavras por segundo em armazenamento permanente e isso é tão semelhante a assimilar a Bíblia inteira seis vezes em um segundo. Assim, qualquer pessoa, em qualquer momento, sempre tem algo a aprender na vida.
Na maioria das vezes, o verdadeiro negócio não está na leitura e no aprendizado, mas na aplicação prática. Muitas vezes, ouvimos boas palavras de inspiração e pensamos: “uau, eu deveria fazer isso” para algo que vale a pena tentar que foi declarado, e depois deixamos por isso mesmo. Por que não apenas aplicá-lo?

Se você já descobriu seu propósito, construa sobre ele. Qualquer esforço que valha a pena você tem feito, dê o seu melhor. Esforçar-se. Faça isso em 2x – 10x a quantidade. Exercite-se pelo dobro do tempo, escreva 5x mais do que normalmente faz ou até mesmo estude 10x mais. Desafie-se a quebrar algumas crenças limitantes e limites que você tem.
Como palavras finais, vou relembrar a história de um estudante que certa vez escreveu para o famoso pregador Henry Ward Beecher, perguntando-lhe como ele poderia conseguir ‘um trabalho fácil’. O Sr. Beecher respondeu: “se essa é a sua atitude, você nunca será nada. Você não pode ser editor ou advogado ou sequer pensar em entrar no ministério. Nenhuma dessas profissões é fácil. Você terá que esquecer os campos de merchandising e transporte, abominar a prática da política e esquecer o difícil campo da medicina. Para ser um agricultor ou mesmo um bom soldado, você deve estudar e pensar. Meu filho, você veio para um mundo difícil. Eu só conheço um lugar fácil nele, e isso é na sepultura.”
Vou parar aqui hoje e continuar na próxima vez.

[ad_2]

Source by George Udonte

Deixe um comentário